Conecte-se conosco

ELEIÇÕES 2020

PSL-Jaú retorna ao comando de Atílio

'Presidente do PSL-Jaú Atílio Durval Gasparotto, deputado federal e presidente da Executiva Estadual do PSL-SP Junior Bozzella, e vice-presidente PSL-Jaú Franque de Oliveira -Foto: Divulgação

“Volto a afirmar: o PSL-Jaú será protagonista nas eleições deste ano”, garante o presidente Atílio Gasparotto. “Nosso projeto é lançar candidato a prefeito, bem como a chapa completa de vereadores”, afirma o vice-presidente, Franque Oliveira.

O Partido Social Liberal (PSL) viveu uma verdadeira quebra de braço nos últimos cinco meses. E o troca-troca de lideranças em nível nacional e estadual também repercutiu nos diretórios municipais. Em Jaú, de uma hora para a outra, o então presidente Atílio Durval Gasparotto, que comandava o partido mesmo antes da eleição de Jair Bolsonaro, foi destituído e em seu lugar assumiu o empresário Ivan Cassaro, com as bênçãos do deputado federal Eduardo Bolsonaro. Mas apenas o nome do empresário ficou constando na certidão de composição (nominata) publicada no site do TSE, com vigência de 11 de setembro/2019 a 11 de abril de 2021, com caráter provisório, sem aprovação ou divulgação dos demais membros da comissão provisória municipal. Com a saída de Eduardo da Executiva Estadual, foi questão de tempo para que a situação do partido em Jaú retornasse à normalidade.
“Volto a afirmar: o PSL-Jaú será protagonista nas eleições deste ano”, garante o presidente Atílio Gasparotto. De acordo com ele, a Executiva Municipal está se movimentando para ter “nomes próprios e fortes para a Prefeitura e Câmara de Vereadores deste ano” e descarta “qualquer aproximação com grupo do prefeito Rafael Agostini”.

Confira, também, a entrevista exclusiva ao jornal Folha UM, concedida pelo vice-presidente do PSL-Jaú, Franque Oliveira.

FOLHA UM: Como está a situação do PSL-Jaú hoje?
FRANQUE: “O nosso grupo trabalhou nos últimos quatro anos para o crescimento do partido em Jaú, antes mesmo das eleições de 2018, quando se deu a “Era Bolsonaro”. E, é claro, nosso presidente foi uma conquista importante para este país, além do que, até então, pertencíamos a um partido considerado ‘nanico’.”
“Desde 2016, sou vice-presidente da Executiva Municipal, que tem o comando do Atílio [Durval Gasparotto], e nosso grupo vem trabalhando para estruturar, cada vez mais, o PSL Jaú, tendo em vista que, ao assumirmos, encontramos um partido esfacelado, com inúmeras pendências jurídicas e financeiras deixadas pelos presidentes anteriores junto aos órgãos competentes, como a Justiça Federal e Eleitoral e a Receita Federal. Além de resolver todas essas questões e deixar o partido apto na cidade, também continuamos o trabalho de filiação partidária, sendo que o PSL de Jaú hoje, segundo dados publicados no site do TSE, conta com 220 filiados, e esse número ainda crescerá até as próximas eleições”.

FOLHA UM: Mas após todo esse crescimento, o PSL, em diversas cidades, sofreu inúmeros assédios e tentativas de ‘tomada’ do partido. E em Jaú parece não ter sido diferente…
FRANQUE: “Em nível nacional, graças ao nosso presidente Jair Bolsonaro e a todos que colaboram com esse projeto, o PSL, hoje, é o maior partido conservador e de direita do Brasil. Assim sendo, foi natural que ‘os olhos’ de alguns políticos crescessem, lideranças até de outras legendas, que passaram a assediar o partido em diversas cidades de diversos estados do país. O PSL de Jaú teve sua executiva destituída inadvertidamente no ano passado, sem qualquer análise do trabalho desenvolvido por nós e, depois, ficou cinco meses sob o comando de Ivan Cassaro, por conta do relacionamento dele com o filho do presidente, Eduardo Bolsonaro. Mas a Executiva sob o comando do Atílio foi restabelecida por meritocracia, histórico de trabalho, o que já esperávamos desde março, após a recondução do nosso deputado federal Junior Bozzella à frente da Executiva Estadual do PSL-SP, sendo que o deputado também é segundo vice-presidente da Executiva Nacional”.

FOLHA UM: E agora, como fica a situação do Ivan Cassaro junto ao PSL-Jaú?
FRANQUE: “O projeto do PSL-Jaú para as eleições municipais deste ano é lançar candidato a prefeito de Jaú, bem como a chapa completa de vereadores. Para isso, estamos conversando com possíveis nomes, e pretendemos ter essa definição no início do mês de março. O nome do Ivan [Cassaro] não está descartado ao diálogo, pois pretendemos conversar com todos os partidos de direita do município, que se alinhem aos princípios do PSL”.

FOLHA UM: E quanto a um possível candidato do prefeito Rafael Agostini?
FRANQUE: “Está claro que a atual administração municipal é basicamente de esquerda. O Rafael foi eleito pelo PT e reeleito pelo PSB, e não se alinha à ideologia conservadora e de direita do PSL. Nossos princípios têm como base o conservadorismo, combate à corrupção, fim de favorecimentos dentro da coisa pública, administração voltada ao cidadão e não a minorias, bem como incentivo ao desenvolvimento econômico e cultural. Enfim, conservador nos costumes e liberal na economia. E esses princípios estão bem distantes da esquerda e, consequentemente, do Governo Rafael Agostini. Há determinação expressa da Executiva Estadual do PSL, inclusive, proibindo qualquer coligação com a esquerda, o que plenamente estamos de acordo”.

FOLHA UM: Dos deputados estaduais de Jaú nas eleições de 2018, o Dr. Paulo de Tarso, então PHS, foi o mais votado e com discurso alinhado à ala conservadora. Há interesse por parte do PSL que ele concorra à majoritária pelo partido?
FRANQUE: “Sem dúvida. Há essa possibilidade, sim. Ainda não há qualquer definição, mas é um nome a ser considerado e respeitado, pois os ideais dele se coadunam aos ideais do PSL em Jaú”.

FOLHA UM: E o Ronaldo Formigão, que foi candidato do PSL a deputado estadual? Qual o espaço que ele tem dentro do partido, até mesmo para se lançar à majoritária?
FRANQUE: “O Ronaldo Formigão é, também, um nome forte dentro do partido e, assim como outros possíveis candidatos, tem seu nome avaliado dentro do PSL para concorrer para prefeito, vice ou vereador. Como disse, ainda não temos definições”.

FOLHA UM: Mas uma possível coligação com outros partidos e/ou apoio a candidatos de outras legendas também não estão descartados…
FRANQUE: “Também existem essas possibilidades, desde que o postulante tenha o perfil do partido, frisando que o PSL municipal é hoje uma democracia, é aberto ao diálogo e receptivo, inclusive, a novas alianças que queiram ingressar no meio político”.

FOLHA UM: Quanto ao PSDB, pode surgir uma coligação?
FRANQUE: “O PSDB é um partido de posicionamento mais de Centro, não exatamente de Direita, mas com bons nomes em seus quadros. Estamos conversando e não descartamos uma possível coligação”.

FOLHA UM: Na eleição proporcional, o PSL conseguirá lançar chapa completa de vereadores?
FRANQUE: “Sim. Trabalhamos desde o ano passado para isso. Já nos reunimos com vários líderes comunitários com pretensões políticas, empresários e profissionais liberais, e hoje, já temos 90% do quadro de vereadores fechado. O PSL vem com chapa completa com excelentes nomes a vereador nas eleições de outubro, pode ter certeza!”.

FOLHA UM: Ainda que eleito pelo PSL, a saída do presidente Jair Bolsonaro, hoje sem partido, não enfraquece o projeto?
FRANQUE: “Não. Acredito que não. Na eleição do nosso presidente foram dadas, pelo PSL, toda a segurança e a viabilidade para a sua candidatura vitoriosa. O fato de ele ter saído do partido não quer dizer que os ideais do PSL tenham saído dele, pois Bolsonaro tem os ideais que o PSL congrega. Tanto é verdade que o PSL é o maior apoio que o presidente tem para sustentar sua governabilidade e aprovar os programas de que o Brasil precisa para avançar”.

FOLHA UM: O que o PSL-Jaú pode fazer, em nível estadual e nacional, em benefício deste Município?
FRANQUE: “O nosso presidente estadual, Junior Bozzella, tem bom trânsito nessas duas esferas e tem feito importantes ações em prol de muitas cidades do Estado, e com Jaú não será diferente, quando o PSL municipal estiver no Governo”.

ELEIÇÕES 2020

Dr. Paulo de Tarso se filia ao PSL e é pré-candidato a prefeito de Jaú

Dr. Paulo de Tarso é pré-candidato a prefeito de Jaú pelo PSL (Foto: Folha um)

O médico Dr. Paulo de Tarso Nuñes Chiode foi confirmado pré-candidato a prefeito de Jaú pelas Executivas Municipal e Estadual da legenda. A reunião foi no sábado, dia 7 de março, em escritório político do presidente estadual do partido, deputado federal Junior Bozzella, cidade de Santos-SP, e foi acompanhada com exclusividade pelo Jornal Folha Um.

O presidente da Executiva Estadual referendou a filiação do Dr. Paulo, bem como reafirmou o apoio e a certeza da construção de um grupo forte, com compromisso e ética, para o bem de Jaú. “O Dr. Paulo, o presidente Atílio [Gasparotto] e todos os jauenses podem contar com nosso apoio, inclusive com a destinação de emendas, para alavancar o desenvolvimento da cidade e o bem-estar da população”, garantiu Bozzella, que ainda ressaltou: “estamos certos de que a pré-candidatura do Dr. Paulo sairá vitoriosa, pois traz consigo um projeto firme de combate à corrupção, moralização dos serviços públicos e mais saúde, segurança e emprego para o povo”.

“Dr. Paulo de Tarso se alinha totalmente à ideologia conservadora e de direita do PSL, que tem como princípios o conservadorismo, combate à corrupção e o fim de favorecimentos dentro da coisa pública”, destacou Franque Oliveira, vice-presidente da legenda em Jaú.

Dr. Paulo, por sua vez, agradeceu a confiança de Atílio, de todos os membros da Executiva Municipal e o deputado Bozzella. Ele também destacou o forte propósito de “trabalhar por Jaú”. “Nunca recusei trabalho e acredito haver muito a se fazer por Jaú. Cansei de ver minha cidade com promessas não cumpridas e sou pré-candidato para fazer valer o direito dessa população sofrida, que só vive pagando impostos e não vê o retorno necessário”, justificou Paulo de Tarso, que se declara “de direita, conservador, defensor da família e dos bons costumes”.

“Ao ir às urnas, a população está elegendo um funcionário seu, e se esse funcionário não trabalhar direito tem que ser demitido de sua função”, alertou.

Oposição

Tanto o presidente da Executiva Municipal, Atílio Durval Gasparotto, como o pré-candidato da legenda em Jaú, Paulo de Tarso, descartam qualquer aliança com o grupo da situação. “Somos oposição e não há qualquer possibilidade de aproximação com o grupo do prefeito Rafael Agostini”, confirmou Atílio. “O Governo de Rafael Agostini é o que podemos chamar de ‘estelionato eleitoral’: não entregou durante o mandato o que vendeu em campanha. Agostini, como prefeito, mostrou ser exatamente o mesmo de quando vereador: um político de muita conversa e pouca ação”, afirmou Paulo de Tarso, que se declara opositor ferrenho à atual administração e a qualquer um que venha a ser apoiado pelo prefeito Rafael Agostini.

“Há determinação expressa da Executiva Estadual do PSL, inclusive, proibindo qualquer coligação com a esquerda, o que plenamente estamos de acordo”, completou o vice-presidente da Executiva Municipal, Franque Oliveira.

Além de confirmar o nome de Paulo de Tarso como pré-candidato pelo PSL-Jaú, a Executiva Municipal também afirma que virá para as eleições de outubro com chapa completa de vereadores. O nome para ocupar o cargo de vice-prefeito ainda segue indefinido, podendo surgir de possíveis coligações com outros partidos de direita, que estão sendo analisadas pelo grupo.

Mais votado

Nas eleições de 2018, Dr. Paulo de Tarso foi o candidato a deputado estadual de Jaú mais votado na cidade. Ele conquistou 9.185 votos no Município com a legenda do PHS e se declarando fiel apoiador do então candidato a presidente da República Jair Bolsonaro (PSL). E a exemplo do “Capitão”, Tarso também contrariou as supostas pesquisas de preferência de votos. “Em Jaú, os candidatos a deputados que se diziam eleitos, com mais de 25 mil votos só no Município, segundo pesquisas, sofreram derrota acachapante, enquanto eu, que também era candidato e nem aparecia nas estatísticas, fui o mais votado nas urnas”. Nas eleições deste ano, o médico acredita que sua eventual candidatura também poderá surpreender, tendo em vista que, sendo o seu nome confirmado nas convenções de julho, será uma “opção séria e responsável para alavancar o desenvolvimento de Jaú e bem-estar da população”.

Continue lendo

ELEIÇÕES 2020

Fernando Frederico nega candidatura em Jaú

Professor Fernando Frederico e jornalista Rodrigo Boni - Foto: Divulgação

Em entrevista exclusiva ao jornalista Rodrigo Boni, da página Central da Notícia, o advogado, jurista, professor, palestrante e ex-vereador Fernando Frederico negou veementemente a possibilidade de candidatura à Prefeitura de Jaú ou a qualquer outro cargo nas eleições deste ano.
Para Frederico, “este não é o momento”, já que além das universidades onde leciona e atua, são “inúmeros os eventos e palestras” dos quais participa no Brasil e no mundo.
A partir de 2021, Frederico não descarta voltar ao cenário eleitoral. “Em 2020 já foi decidido, inclusive em família, que não participarei de nada no campo eleitoral”. Ele ainda garantiu que essa negativa não se trata de algo combinado: “não tem nada de confirmar em fevereiro. Não sou candidato”, finalizou Frederico.

Continue lendo

ELEIÇÕES 2020

Chapa pura, Suzana Sanzovo/Tito Coló ganha força para a prefeitura de Jaú

O PSDB de Jaú está trabalhando nos bastidores para consolidar os nomes para a disputa das eleições municipais de 2020. Nos últimos dias, ganhou força a intenção de lançar chapa pura à majoritária, encabeçada pela professora Suzana Sanzovo a prefeita e pelo vereador e empresário Tito Coló Neto, vice-prefeito. Mas também não se descarta que Tito dispute a prefeitura e Suzana seja a vice.

A dobrada estaria sendo monitorada e aprovada por meio de pesquisas eleitorais realizadas pela Executiva Estadual. “O governo do Estado estará integrado a nossa campanha, caso ela se confirme, dando total apoio ao PSDB de Jaú; e o fato é que a cada dia nossos nomes, a pré-candidatura, se fortalecem mais”, afirmou o pré-candidato Tito Coló. Ainda segundo ele, a chapa que disputará a vereança também já está praticamente montada, com nomes fortes, tanto de mulheres quanto de homens.

 

Continue lendo

Mais lidas

Folha Um - Todos os direitos reservados.